Teoria e Prática

A método terapêutico do Jogo de areia (SANDPLAY) foi criado por Dora Kalff, em Zurich. É uma forma de terapia não-verbal e não-racional que possibilita a expressão de imagens simbólicas, que atinge um nível pré-verbal profundo da psique. Essa prática permite que o inconsciente se expresse numa forma tridimensional.

 

É utilizada uma caixa de madeira (57 X 72 X 7), areia, água e um grande número de objetos em miniatura, como animais, plantas, figuras humanas, objetos do cotidiano, figuras sombrias, espirituais, elementos da natureza como pedras, conchas, madeiras, algodão, etc. A areia indicada é do mar ou do deserto por ter referência com o inconsciente, despertando assim uma imagem arquetípica.

1.

 A caixa de areia é o veículo que o método dispõe, onde o paciente monta cenários tridimensionais, desenhos na areia utilizando água e miniaturas realistas. O cenário é o produto do método.

2.

Este método possibilita a criação de imagens dentro de um espaço livre e protegido que refletem o inconsciente.

As imagens construídas proporcionam um contínuo diálogo entre o consciente e o inconsciente do paciente.

1.

No Sandplay a Consciência relaxa o controle, isso permite que o material inconsciente penetre na consciência.

2.

No momento da escolha (seleção) das miniaturas e a modelagem da areia, o inconsciente desperta – e a consciência com suas ambições e propósitos são silenciados. Dessa forma o Sandplay promove o que Jung chamou de Função Transcendente – sendo possível um outro ponto de vista na vida.

3.

Esse diálogo promove mudanças significativas – dá voz ao inconsciente, nos momentos de perturbação/confusão – traz clareza ao que estava fora de controle/reprimido.

Dora Kallf em seu livro: Sandplay – A Psychotherapeutic Approach the Psyche

“O cenário produzido pela criança ou pelo adulto pode ser entendido como uma representação tridimensional de algum aspecto da situação do psiquismo.”

“Um problema inconsciente pode ser colocado para fora na caixa-de-areia como uma cena dramática. O conflito é transferido do mundo interno para o mundo externo e torna-se visível.”

“Este jogo com a fantasia influencia a dinâmica do inconsciente, assim move a psique.”

Leia o artigo: “What is Sandplay?” published in the Journal of Sandplay Therapy by Kay Bradway, Volume 15, Number 2, 2006

Por que a areia é o material escolhido?

A areia permite amplas possibilidades, pode ser manipulada seca ou molhada, podendo fazer e desfazer as formas. É um receptor muito sensível que registra qualquer intervenção com muita precisão. É um material sólido, mas de forma fluida, tendo sido moldada pelo vento e pela água, num processo lento, em minúsculas partículas.

De acordo com a quantidade de água que se mistura nela, ela pode ser clara, escura, úmida, pesada, lamacenta.

Com uns poucos movimentos surgem desertos, vales, montanhas, vulcões, rios e oceanos. E essas formações são facilmente mudadas; toda destruição quase que organicamente leva a uma nova criação. A mesma areia está sempre pronta para ser reutilizada, transformada de novo em seu estado oposto. A areia é um material semelhante ao que podemos chamar de uma substância psicológica, ou seja, em termos alquímicos, de uma substância com propriedades mercuriais.

Aplicações

Tem se revelado um excelente instrumento tanto para diagnóstico quanto para o tratamento psicológico. É indicado para o tratamento de crianças, adolescentes, e adultos.

O que faz o Sandplay funcionar?

Sandplay é uma técnica junguiana assim como a Imaginação Ativa, com a diferença que as imagens são concretas, podemos tocá-las. Como cenas de sonhos, os cenários na caixa são séries de imagens e ações, diferentemente  do sonho que o analisando precisa reportar ao analista suas lembranças e o analista visualiza internamente essas imagens, as imagens do Sandplay são imediatamente visualizadas pelo analista e o paciente.

 

Proporciona uma oportunidade de experienciar emoções e sentimentos concretamente através do uso da água e da areia, com ou sem as miniaturas.

 

No espaço “livre e protegido” é dado ao paciente a liberdade de fazer o que ele quiser fazer. O terapeuta/analista evita interromper a experiência do paciente enquanto ele monta o cenário. Cria-se assim, um local onde o mundo interior e exterior se encontram. É bastante comum ouvir “Eu não sei o que vou fazer” ou “Eu não sei o que estou fazendo”. Podemos concluir dessa forma que o processo interno está no comando na montagem da caixa-de areia.

O poder do Sandplay está na combinação da areia e a água, prateleiras de miniaturas, liberdade dentro de um espaço limitado e protegido, e essa combinação de fatores carrega o potencial de cura e de transformação.

O Método é indicado para adultos?

Na técnica do Sandplay, o adulto brinca como a criança, com seriedade. O aspecto lúdico propicia aos adultos uma entrada ou um rito de iniciação no sentimento, no afeto e no mundo da criança. Lembranças perdidas vêm à tona, fantasias reprimidas são liberadas e possibilidades de reconciliação ocorrem. Paradoxalmente, a técnica da caixa-de-areia parece aumentar a capacidade para distinguir o ilusório do real.

INDICAÇÕES
Pessoas com dificuldade em expressar verbalmente, ajuda o paciente a sair dos conceitos abstratos. Quadros de depressão, ansiedade, traumas, ajuda a pessoa a relaxar. Traz alegria por ser lúdico, proporciona o brincar.
CONTRAINDICAÇÕES
Pessoas que estejam em processo de fragilidade, como é uma técnica que leva a uma ativação das fantasias, é contraindicada para alguns estados psicóticos ou nos casos de inflação psíquica. Nestes dois casos, é mais importante fortalecer o ego e focalizar nas relações com o mundo externo.

©2020 Sandplay Terapia. Orgulhosamente criado por Thiago Ferreira.

  • Facebook Daniela Carneiro
  • Instagram Daniela Carneiro